A cidade nos gestos memorativos do caderno Cultura de Zero Hora

o cronotopo da crônica e dos colunistas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/1809-58442022106pt

Palavras-chave:

Crônica, Cidade, suplemento Cultura (ZH), Jornalismo cultural, Cronotopo

Resumo

Este artigo resulta da pesquisa Jornalismo, memória e cidade: estudo do suplemento Cultura de Zero Hora (2011-2014), que buscou problematizar os gestos memorativos de um suplemento cultural na representação jornalística da cidade. No recorte, analisamos os cronistas Luís Augusto Fischer, Ricardo Chaves e Ismael Caneppele que tiveram colunas fixas no caderno, considerando que são pontos de vista singulares sobre a cidade, mediadores regidos pelas experiências do vivido e do pertencimento que fundam um lugar. Apoiados na análise narrativa, concentramo-nos nas representações da cidade propostas pelos cronistas, pelos modos com que se movimentam nela, o mapa que habitam afetivamente, quais lugares recebem visibilidade e valor, resultando em uma topografia singular. Encontramos no suplemento cultural um ambiente propício para a fusão de sinais que caracterizam o cronotopo, ou seja, índices de tempo que transparecem no espaço e, vice-versa, o espaço que se reveste de sentido por ser medido pelo tempo.

Biografia do Autor

Cida Golin, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre – RS, Brasil

Jornalista formada pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) (1986), Doutora em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS) (1998), Professora Titular nos cursos de Jornalismo e de Museologia da UFRGS. Coordena o Núcleo de Estudos em Jornalismo e Publicações Culturais do Laboratório de Edição Cultura & Design (LEAD-CNPq). Entre 2013 e 2019, foi Bolsista Produtividade do CNPq desenvolvendo pesquisa sobre jornalismo, memória e cidade.

Luísa Rizzatti, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre – RS, Brasil

Doutoranda em Teoria, Crítica e Comparatismo (Estudos Literários) pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), com pesquisa sobre Franz Kafka e cinema. É jornalista, formada pela UFRGS em 2018, com experiência na área audiovisual, sobretudo em produção de documentários. Fez parte do Laboratório de Edição, Cultura & Design (LEAD-CNPq) da Fabico/UFRGS como bolsista de iniciação científica de janeiro de 2017 a julho de 2018, contribuindo com pesquisas sobre jornalismo, cidade, memória e cultura, financiadas pelo CNPq.

Vinícius Zuanazzi, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Porto Alegre – RS, Brasil

Bacharel em Jornalismo pela Escola de Comunicação, Artes e Design da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (FAMECOS-PUCRS). Mestre em Comunicação Social pela mesma instituição (PPGCOM-FAMECOS-PUCRS), onde foi bolsista CAPES com pesquisa sobre o cartunista Henfil.

Publicado

25-05-2022

Como Citar

GOLIN, C.; RIZZATTI, L.; ZUANAZZI, V. A cidade nos gestos memorativos do caderno Cultura de Zero Hora: o cronotopo da crônica e dos colunistas. Intercom: Revista Brasileira de Ciências da Comunicação, São Paulo, v. 45, p. e2022106, 2022. DOI: 10.1590/1809-58442022106pt. Disponível em: https://revistas.intercom.org.br/index.php/revistaintercom/article/view/3879. Acesso em: 8 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos