Amazonas, Amazonas de Glauber Rocha e a música de Villa-Lobos: representações entre passado, presente e futuro

Autores

  • Luiza Beatriz Alvim Universidade Federal do Rio de Janeiro

Palavras-chave:

Cinema Novo, Glauber Rocha, Villa-Lobos, Cinema e Música, Representações

Resumo

Glauber Rocha realizou o documentário de encomenda Amazonas, Amazonas (1966) após Deus e o diabo na terra do sol (1964), lançando mão novamente de músicas de Villa-Lobos: a peça Uirapuru e Estudos para violão, alguns deles já utilizados em Arraial do Cabo (Paulo Cezar Saraceni e Mário Carneiro, 1959). Destacamos as escolhas musicais e como elas, em conjunção com as imagens e outros elementos sonoros, atuam em Amazonas, Amazonas, tendo em vista as representações da região amazônica, entre mitos, sua desconstrução e evocações do subdesenvolvimento e do progresso, em uma estética entre filme institucional e Cinema Novo. Observamos que, na distribuição dos dois conjuntos de peças (Uirapuru e peças para violão) ao longo do filme, para além de uma relação temporal com um passado mítico ou com o presente da região, há uma lógica geográfica. Destacamos também reutilizações da peça Uirapuru em outros filmes.

Biografia do Autor

Luiza Beatriz Alvim, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Doutora em Comunicação pela UFRJ, pós-doutoranda no PPGM-UFRJ e coordenadora do GP Cinema da Intercom

Publicado

14-12-2021

Como Citar

ALVIM, L. B. Amazonas, Amazonas de Glauber Rocha e a música de Villa-Lobos: representações entre passado, presente e futuro. Intercom: Revista Brasileira de Ciências da Comunicação, São Paulo, v. 44, n. 3, 2021. Disponível em: https://revistas.intercom.org.br/index.php/revistaintercom/article/view/3584. Acesso em: 26 set. 2022.

Edição

Seção

Artigos