Mediações no YouTube e o caso "˜Ocupação do Complexo do Alemão': características e dinâmica de uso

Autores

  • Sivaldo Pereira da Silva Universidade Federal de Alagoas, Instituto de Ciências Humanas, Comunicação e Artes, Curso de Jornalismo. Maceió - AL, Brasil. Universidade e Brasília, Faculdade de Comunicação, Programa de Pós-Graduação em Comunicação. Brasília - DF, Br
  • Pedro Santos Mundim Universidade Federal de Goiás, Faculdade de Ciências Sociais, Curso de Pós-Graduação em Ciência Política. Goiânia - GO, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.1590/rbcc.v38i1.2213

Palavras-chave:

YouTube. Cibercultura. Vídeos online. Internet. Cultura digital.

Resumo

O trabalho analisa as postagens de vídeos no YouTube relacionados a ocupação do Complexo do Alemão na cidade do Rio de Janeiro em 2010. O objetivo deste artigo é identificar as principais características da apropriação que usuários fizeram do YouTube tomando como estudo este evento de grande visibilidade pública. O método utilizado consistiu em cruzamentos de informações dispostas nos vídeos e perfis dos usuários balanceando análises quantitativas e qualitativas. Os resultados demonstraram que há predominância de conteúdo jornalístico replicado pelos perfis online, coincidindo com padrões de audiência de emissoras de TV fora da internet. Visualização e interatividade se apresentam como variáveis relacionadas. Detectou-se também uma significativa concentração de postagens por um grupo pequeno de usuários em relação ao total dos vídeos veiculados.

Biografia do Autor

Sivaldo Pereira da Silva, Universidade Federal de Alagoas, Instituto de Ciências Humanas, Comunicação e Artes, Curso de Jornalismo. Maceió - AL, Brasil. Universidade e Brasília, Faculdade de Comunicação, Programa de Pós-Graduação em Comunicação. Brasília - DF, Br

Doutor em Comunicação e Cultura Contemporâneas pela Universidade Federal da Bahia, com estágio doutoral na University of Washington (EUA). Pós-Doutorado no Centro de Estudos Avançados em Democracia Digital e Governo  Eletrônico (CEADD), Póscom-UFBA. Foi pesquisador visitante no Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA); consultor  ad hoc da Unesco e desenvolveu trabalhos de consultoria  junto a outras organizações governamentais e  não-governamentais na área de democracia digital, direitos humanos e políticas públicas de Comunicação. Professor  adjunto do Curso de Jornalismo da Universidade Federal de Alagoas (UFAL) e também professor do Programa de  Pós-Graduação em Comunicação da Universidade de Brasília (UnB).

Pedro Santos Mundim, Universidade Federal de Goiás, Faculdade de Ciências Sociais, Curso de Pós-Graduação em Ciência Política. Goiânia - GO, Brasil

Doutor em Ciência Política pelo Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro (IUPERJ). Autor do livro Imprensa e Voto nas Eleições Presidenciais Brasileiras de 2002 e 2006 (Editora UFG, 2013). Pesquisador Visitante do Roger Thayer Stone Center for Latin American Studies da Universidade de Tulane (2009). Pesquisador de Pós-Doutorado Júnior junto ao  Grupo de Pesquisa em Mídia e Esfera Pública (EME) do Departamento de Comunicação Social da UFMG (2010).  Assessor Especial do Gabinete e Chefe da Assessoria de Pesquisa de Opinião Pública da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (SECOM). Professor doutor do Programa de Pós-Graduação em Ciência Política, Faculdade de Ciências Sociais, Universidade Federal de Goiás (UFG).

Publicado

14-05-2015

Como Citar

SILVA, S. P. da; MUNDIM, P. S. Mediações no YouTube e o caso "˜Ocupação do Complexo do Alemão’: características e dinâmica de uso. Intercom: Revista Brasileira de Ciências da Comunicação, São Paulo, v. 38, n. 1, 2015. DOI: 10.1590/rbcc.v38i1.2213. Disponível em: https://revistas.intercom.org.br/index.php/revistaintercom/article/view/2213. Acesso em: 27 jan. 2023.

Edição

Seção

Artigos