Conteúdo ou Dinheiro? Diferenças entre as políticas de comunicação dos governos Dilma e Temer no Brasil

Autores

Palavras-chave:

Política de comunicação, Governo Federal, Brasil

Resumo

O texto discute diferentes estratégias de comunicação de governos a partir de um estudo de caso específico: a transição entre os governos Dilma Rousseff (PT) e Michel Temer (PMDB) na presidência da República Federativa do Brasil. Utilizando dados das prestações de contas mensais do Governo Federal, comparamos os gastos dos dois presidentes com a produção de conteúdos a serem veiculados em meios públicos ou estatais, com gastos de produção e veiculação no sistema comercial de comunicação. Propomos uma tipologia de atuação frente às estratégias comunicacionais, que vai de governo mais passivo e dependente do sistema privado até governo mais ativo e voltado para os próprios meios de comunicação. Os dados mostram que a principal diferença entre Dilma e Temer é que a primeira investiu mais em comunicação própria, com baixa audiência, enquanto o último aumentou os gastos com os meios tradicionais do sistema privado de comunicação.

Biografia do Autor

Emerson Urizzi Cervi, Universidade Federal do Paraná

Professor associado no departamento de Ciência Política.
Professor permanente do programa de pós-graduação em Comunicação.
Professor permanente do programa de pós-graduação em Ciência Política

Fernanda Cavassana de Carvalho, Universidade Federal do Paraná

Doutoranda em Ciência Política pelo programa de pós-graduação em Ciência Política da Universidade Federal do Paraná (PPGCP-UFPR)

Publicado

02-12-2019

Como Citar

CERVI, E. U.; CARVALHO, F. C. de. Conteúdo ou Dinheiro? Diferenças entre as políticas de comunicação dos governos Dilma e Temer no Brasil. Intercom: Revista Brasileira de Ciências da Comunicação, São Paulo, v. 42, n. 3, 2019. Disponível em: https://revistas.intercom.org.br/index.php/revistaintercom/article/view/2666. Acesso em: 27 jan. 2023.

Edição

Seção

Artigos