Cercados, o documentário: entre fatos e mentiras, entre imprensa e discursos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/1809-58442022118pt

Palavras-chave:

Cercados, Enunciação, Televisualidades, Documentário, Jornalismo

Resumo

No contexto da pandemia da Covid-19 no Brasil, ficou evidente o embate e a resistência da imprensa frente aos ataques e agressões protagonizados pelos negacionistas. O documentário Cercados, produzido pela Globoplay, objeto de análise deste trabalho, retrata os desafios dos bastidores da cobertura jornalística no primeiro ano da Covid-19 no Brasil. Apoiados em conceitos da teoria da enunciação e estudos de televisão, objetiva-se refletir sobre os efeitos de sentido produzidos pelo texto audiovisual e sua contribuição para a reflexão crítica acerca do cenário de desinformação, bem como da relevância do jornalismo como instituição do sistema democrático. Os resultados indicam que a organização do discurso, marcada pela estética da autorreferencialidade, possibilita ao enunciatário adentrar ao universo da produção jornalística e identificar-se com os papéis temáticos desempenhados pelos jornalistas.

Biografia do Autor

Ana Silvia Lopes Davi Médola, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”. Bauru – SP, Brasil

Livre-Docente em Comunicação Televisual pela Universidade Estadual Paulista (UNESP) - em Bauru- SP, onde está lotada no Departamento de Comunicação Social atuando como professora no Curso de Comunicação: Rádio, Televisão e Internet. Credenciada como docente permanente no Programa de Pós- Graduação em Comunicação da UNESP (mestrado e doutorado). Doutora em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP, desenvolve análises sobre linguagem audiovisual e estética da televisão. É líder do Grupo de Estudos Audiovisuais (GEA) da UNESP e membro do Centro de Pesquisas Sociossemióticas (PUC-SP, FFLCH-USP, CNRS-Paris).

Taíssa Maria Tavares Guerreiro, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”. Bauru – SP, Brasil

Mestranda do Programa de Pós-graduação em Comunicação pela Universidade Estadual Paulista (UNESP, Bauru-SP), onde desenvolve pesquisa relacionada à semiótica discursiva aplicada ao audiovisual. Graduada em Comunicação Social – Jornalismo pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM, Parintins-AM). É bolsista da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) e membro do Grupo de Estudos Audiovisuais (GEA) da UNESP.

Publicado

05-12-2022

Como Citar

MÉDOLA, A. S. L. D.; GUERREIRO, T. M. T. Cercados, o documentário: entre fatos e mentiras, entre imprensa e discursos. Intercom: Revista Brasileira de Ciências da Comunicação, São Paulo, v. 45, p. e2022118, 2022. DOI: 10.1590/1809-58442022118pt. Disponível em: https://revistas.intercom.org.br/index.php/revistaintercom/article/view/4338. Acesso em: 2 fev. 2023.

Edição

Seção

Artigos